A Suprema Corte da Alemanha decidiu ontem que o suicídio assistido pode ser realizado sem que ninguém seja punido, desde que haja um pedido anterior do paciente nesse sentido. A Corte absolveu um advogado que havia aconselhado seu cliente, em 2007, a cortar o tubo de alimentação da mãe.

A mulher estava em coma havia cinco anos. Uma instância inferior da Justiça alemã havia punido o advogado com nove meses de prisão, com direito à comutação da pena. A Suprema Corte afirmou que a mulher de 71 anos havia expressado seu desejo de não continuar viva em tais circunstâncias em 2002, antes de entrar em coma.

A ministra da Justiça da Alemanha, Sabine Leutheusser-Schnarrenberger, elogiou a decisão, afirmando se tratar de um grande passo para o respeito à liberdade individual.