Foto: Chuniti Kawamura

Fabrício (e) destaca a preocupação do papa com os jovens.

O papa Bento XVI vem ao Brasil no próximo dia 9 para uma visita oficial de cinco dias. Sua Santidade participa da abertura da V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe, que acontece em Aparecida, no interior de São Paulo. Mas Bento XVI quis aproveitar a visita para deixar uma mensagem para os jovens. O Encontro da Juventude, com a presença do papa, acontece no dia 10, às 18h, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.  

Trinta mil jovens vão acompanhar as festividades e a declaração de Bento XVI. Os ingressos foram distribuídos para dioceses de todo o Brasil. Também será possível acompanhar o evento por meio de telões, que serão instalados na Praça Charles Miller, do lado externo do estádio. O Encontro com Jovens terá apresentação de grupos musicais, a partir das 15h. Às 17h30, terá início o repertório oficial do evento para a entrada do papa. O pontífice deixa o estádio às 20h.

Em Curitiba, 600 jovens foram escolhidos para o encontro com o papa. A seleção foi criteriosa, pois houve uma demanda maior do que o número de vagas. Tudo está sendo organizado pela Pastoral da Juventude, da Arquidiocese de Curitiba. Na caravana oficial, vão 250 jovens. O restante fará a viagem com caravanas de movimentos e paróquias.

Os escolhidos estão empolgadíssimos para o encontro com o papa, mesmo com a previsão de uma viagem cansativa. Os jovens saem de Curitiba à meia-noite de quarta-feira (dia 9), chegam na manhã seguinte em São Paulo e já seguem para o Pacaembu. Para o seminarista Fabrício Araújo Neto, é uma enorme alegria ver e ouvir Bento XVI. ?Estamos vendo a preocupação do papa com a juventude, que é o futuro da Igreja. Será um encontro especial, um momento de muita graça. Esta será a oportunidade de mostrar que os jovens têm que colocar a mão na massa como discípulos e missionários?, afirma.

A mexicana Paola Mancera, que está no Brasil a um ano e meio e trabalha na Pastoral da Juventude, em Curitiba, acredita que este momento é de grande entusiasmo. ?Os jovens fazem parte da Igreja e esta é a oportunidade para nos unirmos?, comenta. A ansiedade já tomou conta de Marjane Santoni do Amaral, que já coordenou um grupo de jovens na comunidade Nossa Senhora da Consolação, no bairro Pinheirinho. ?É a possibilidade de estar presente em uma visita do papa ao Brasil. Tive que negociar no trabalho, mas vai valer a pena. Será um momento marcante e histórico. A juventude é o presente e o futuro da Igreja?, avalia.

Encontro a pedido de Bento XVI

A realização do Encontro da Juventude foi um dos pedidos do papa Bento XVI para a sua passagem pelo Brasil. Atualmente, cerca de 70% da população brasileira se declaram como católicos. Mas o índice já foi de 90%. O catolicismo vem perdendo fiéis, principalmente para as igrejas evangélicas. Segundo muitos integrantes da Igreja Católica, a solução é evangelizar. E isto significa atrair mais jovens para o catolicismo.

?Há uma preocupação quanto a isso, mas não sentimos tanto nas nossas missas. Pelo contrário, tem aumentado o número de pessoas acompanhando as missas. Nunca houve a separação dos jovens da Igreja. O grande enfoque é que o jovem representa sangue novo e ajuda na renovação. Os jovens também trazem um jeito novo de viver o evangelho?, opina o padre Alexsander Cordeiro Lopes, assessor da Pastoral da Juventude.

Missa de envio será hoje

Mara Andrich

A missa de envio de cerca de 600 jovens que irão participar do encontro com o papa Bento XVI no dia 10 de maio, em São Paulo, está marcada para as 15h de hoje. A celebração será na Paróquia São José, no Largo Albino Vico, 32, no Capão Raso, em Curitiba. O papa chega ao Brasil no dia 9 de maio, mas o encontro exclusivo com a juventude do Brasil e também de outros sete países latino-americanos (que totalizam cerca de 40 mil pessoas) está marcado para as 18h do dia 10. Os jovens curitibanos sairão da capital no dia 9 à meia-noite e retornarão no dia 10, logo após a celebração.

Para o engenheiro-eletricista Juliano Pellegrin, de 28 anos, que foi um dos escolhidos na Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo do Socorro para ir a São Paulo ver o papa, o encontro do santo padre deverá estimular a aproximação do jovem com a Igreja ou qualquer outro tipo de templo religioso. Na sua opinião, ter fé pode mudar a vida das pessoas. ?O catolicismo ajudou em todos os aspectos da minha vida. No trabalho, ajudou a ter mais ética, a tratar as pessoas da melhor forma possível. A busca de valores é algo que a religião nos ensina?, disse.

A estudante Ana Paula Garcias, 20 anos, também está ansiosa para ir ao Encontro da Juventude com o papa. Para ela, o evento também pode ser um chamamento dos jovens que estão afastados da Igreja. ?As pessoas acham que isso não tem importância, mas para mim ir à missa é questão de bem-estar?, disse. Ana Paula faz parte do Santuário Nossa Senhora do Carmo, no bairro Boqueirão. ?Será uma oportunidade única de ver o Papa?, comemorou.