Em meio à visita do primeiro-ministro britânico, David Cameron, à China, o jornal chinês Global Times criticou o Reino Unido e disse que o país perdeu força, sendo considerado agora apenas um destino para turistas e estudantes. No seu editorial, o jornal também questionou o apoio de Cameron à expansão da democracia em Hong Kong – ex-colônia do Reino Unido – e disse que os britânicos são coniventes com a França e Alemanha para provocar a China sobre a questão do Dalai Lama.

A visita de Cameron estava inicialmente marcada para o ano passado, mas foi adiada depois que a China criticou um encontro entre o primeiro-ministro e o líder tibetano, considerado um separatista por Pequim.

“Nós descobrimos que os britânicos são facilmente substituíveis na política externa da China com a Europa”, disse o editorial “Além disso, o Reino Unido não é mais um grande país, mas apenas uma nação da velha Europa adequada para o turismo e estudo no exterior, com alguns times decentes de futebol”, completou.

Segundo o jornal, a China vai responder na mesma moeda todos os deslizes diplomáticos cometidos pelo Reino Unido. O editorial, de maneira irônica, deseja a Cameron “uma agradável visita à China”.

Após reuniões com o premiê chinês, Li Keqiang, e o presidente Xi Jinping, Cameron voou para Xangai na segunda-feira para outras reuniões e para fazer um discurso em uma universidade da região. Sua viagem na China será concluída na quarta-feira, na cidade de Chengdu, no sudoeste do país.

Durante sua estadia em Pequim, o primeiro-ministro supervisionou a assinatura de acordo de áreas incluindo exploração espacial e treinos esportivos. Além disso, o britânico mostrou apoio a um acordo para liberalizar o comércio entre a China e a União Europeia. Esse pacto poderia valer até 1,8 bilhão de libras (US$ 2,95 bilhões) por ano para a economia do Reino Unido. Fonte: Associated Press.