O ministro de Informação da Jordânia disse que seu governo está pronto para trocar a mulher iraquiana presa em seu país pelo piloto jordaniano capturado em dezembro por extremistas do Estado Islâmico.

Mohammed al-Momani não fez menção, em suas declarações, ao jornalista japonês Kenji Goto, que também é refém do Estado Islâmico.

As declarações de Al-Momani foram divulgadas pela agência estatal de notícias jordaniana Petra.

O ministro diz que “a Jordânia está pronta para libertar a prisioneira iraquiana” se o piloto jordaniano, tenente Mu’ath al-Kaseasbeh, for libertado ileso.

Uma mensagem, supostamente divulgada pelo grupo extremista na terça-feira, ameaçava matar Goto e o piloto no prazo de 24 horas. Fonte: Associated Press.