A Itália desconsiderou a possibilidade de tomar parte numa intervenção militar na Síria sem a aprovação do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), afirmando que não há alternativa a uma “solução politicamente negociada”.

“A Itália não fará parte de qualquer solução militar sem um mandato do Conselho de Segurança”, disse a ministra de Relações Exteriores Emma Bonino a parlamentares em Roma.

“Mesmo a opção de uma intervenção limitada traz os riscos de se tornar ilimitada”, disse a ministra, acrescentando que a Itália “já está sobrecarregada” militarmente em outras partes do mundo.

“Não há uma solução militar para o conflito sírio. A única solução é uma solução politicamente negociada”, disse ela, pedindo “grande determinação” para que os dois lados negociem.

Uma reunião de governo liderada pelo primeiro-ministro Enrico Letta na segunda-feira concluiu que o regime sírio chegou a um “ponto sem volta”, mas destacou que qualquer resposta internacional deve ser decidida multilateralmente. Fonte: Dow Jones Newswires.