Conflitos são registrados na frente do edifício do parlamento de Irbil, depois que o presidente da região curda autônoma do Iraque, Masoud Barzani, renunciou ao cargo neste domingo, pouco mais de um mês depois de um polêmico referendo de independência liderado por ele, e que abriu uma crise regional.

Uma equipe da Associated Press testemunhou dezenas de manifestantes que atacaram o prédio, os parlamentares e jornalistas depois que Barzani fez seu primeiro pronunciamento na TV local desde que as consequências do referendo se tornaram violentas no início deste mês. Em baixa, o líder curdo culpou o governo central em Bagdá pela crise regional que seguiu a votação da independência. “Eles (Bagdá) usaram o referendo como uma desculpa. Suas más intenções são muito claras há muito tempo “, disse ele.

“Sem o peshmerga, o exército iraquiano nunca poderia ter libertado a cidade de Mosul”, continuou, referindo-se aos combatentes curdos iraquianos. “Nós pensamos que a comunidade internacional recompensaria o peshmerga e o povo do Curdistão em troca. Eles respeitariam o sangue dos mártires.”

Barzani instruiu o parlamento a distribuir seus poderes presidenciais entre o primeiro ministro curdo, o Parlamento e o Judiciário. Ele também informou o parlamento que não buscará uma extensão de seu mandato, que deverá expirar no dia 1º de novembro, mas o assistente sênior de Barzani, Hemin Hawrami, disse que o movimento não significava que o líder curdo estava “renunciando”. Fonte: Associated Press.