O governo iraquiano informou hoje que foram quatro norte-americanos e um iraquiano – e não cinco norte-americanos, como havia confirmado o porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Bagdá, James Fennell – detidos pelas autoridades iraquianas, que investigam o assassinato do empreiteiro norte-americano Jim Kitterman no mês passado, em Bagdá. Ali al-Dabbagh, um porta-voz do governo local, afirmou que eles foram detidos na última quarta-feira quando a polícia cumpriu ordem judicial na sede em Bagdá da empresa dos EUA Corporate Training Unlimited.

Dabbagh disse que a operação foi ordenada depois de forças de segurança terem recebido informações de que um suspeito de envolvimento no assassinato de Kitterman estaria na empresa. Durante a ação, os agentes iraquianos de segurança constataram que os portes de armas e a licença de funcionamento da empresa estavam vencidos, motivo pelo qual os presentes foram presos. Ainda não ficou claro se a pessoa suspeita de participação no homicídio estava no local no momento da ação.