Funcionários da administração Barack Obama afirmaram hoje que estão prontos para tomar ações rápidas e substanciais contra o Irã. As punições devem ocorrer, porém, apenas se o país ignorar os atuais esforços diplomáticos para garantir que Teerã não tenha armas nucleares. Os funcionários falaram ao Comitê de Finanças do Senado. Eles também ressaltaram que as sanções contra Teerã serão mais efetivas caso sejam impostas por uma coalizão internacional unida. O subsecretário do Tesouro Stuart Levy disse que a união na aplicação de possíveis sanções é crucial para que elas sejam efetivas.

Alguns membros do Congresso pressionam a administração Obama para que tome sanções unilaterais mais duras. No mês passado, foi anunciada uma segunda instalação nuclear em construção no Irã, aumentando a controvérsia e o temor sobre o tema. Países como Estados Unidos e Israel dizem acreditar que o Irã possui um programa secreto para produzir armas nucleares. O regime iraniano afirma, porém, que tem apenas fins pacíficos, como a produção de energia.