O diretor da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, disse nesta segunda-feira ter recebido, na semana passada, uma nova proposta dos Estados Unidos, Rússia e França, três dos países que tentam frear o programa de enriquecimento de urânio iraniano.

Uma autoridade norte-americana negou que uma nova proposta tenha sido feita pelos três países, afirmando que a única oferta continua a ser o plano da agência de monitoramento nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado em outubro, pelo qual o Irã deveria enviar a maior parte de seu estoque de urânio enriquecido para fora do país. A autoridade, que trabalha na Europa, falou em condição de anonimato. O Ministério de Relações Exteriores da Rússia também negou a existência de uma nova proposta, segundo a agência de notícias Interfax.

Uma agência de notícias semioficial iraniana relevou que o diretor da agência nuclear do país, que também é vice-presidente do Irã, e outras autoridades estudam uma nova proposta conjunta. A agência cita Akbar Salehi dizendo que uma nova oferta foi feita depois de o país ter anunciado, na semana passada, que deu início ao enriquecimento de urânio em nível mais alto do que o que fizera antes. As informações são da Associated Press.