O Irã começou hoje a abastecer com combustível o reator de sua primeira usina nuclear. Com isso, a usina, construída pela Rússia na cidade de Bushehr, no sul do Irã, fica mais perto de iniciar a produção de eletricidade, após décadas de atrasos. Em um relato sobre a usina, o canal de televisão público Al-Alam, transmitido em árabe, informou que engenheiros “começaram a carregar o núcleo da usina nuclear de Bushehr com combustível nuclear hoje (terça-feira)”. O material nuclear é fornecido por Moscou, que também recolhe o combustível já utilizado.

O Irã começou a transferir combustível para a usina em 21 de agosto, em um processo descrito como o “lançamento físico” da instalação. A Rússia assumiu o compromisso de construir o complexo em meados dos anos 1990. Em 4 de outubro, o chefe do programa nuclear do Irã, Ali Akbar Salehi, disse que a usina estaria pronta para gerar energia em janeiro, dois meses antes que o anteriormente anunciado. O processo de carregar a usina com combustível teve alguns atrasos, que Salehi atribuiu anteriormente ao “tempo muito quente” em Bushehr.

O Irã alega precisar da usina – que está em construção desde os anos 1970, antes de ser assumida pela Rússia – para suprir sua demanda por eletricidade. Governos ocidentais suspeitam, porém, que o programa nuclear iraniano encubra uma iniciativa secreta para produzir armas nucleares. Teerã rechaça essas alegações e garante ter apenas fins pacíficos. Apesar disso, o Irã já sofreu quadro rodadas de sanções no Conselho de Segurança das Nações Unidas por sua recusa a suspender o enriquecimento de urânio, um processo delicado que pode ser usado para fazer combustíveis nucleares ou, em uma forma bem mais enriquecida, bombas atômicas. As informações são da Dow Jones.