Inundações arrasaram o nordeste da Austrália e chegaram hoje à terceira maior cidade do país, Brisbane. Moradores foram obrigados a escapar para os subúrbios e ficar em prédios, enquanto as equipes de resgate buscavam mais de 40 pessoas desaparecidas pelo país. Pelo menos 22 mortes foram confirmadas, causadas por enchentes que podem ser as piores na Austrália em um século. Quase 20 mil moradias em Brisbane estão a ponto de ser alagadas, na cidade de dois milhões de habitantes, quando o rio Brisbane chegar amanhã a seu nível máximo previsto, disse o prefeito Campbell Newman.

As 22 mortes foram confirmadas no Estado de Queensland, no nordeste. As chuvas torrenciais começaram em novembro, provocando cheias nos rios e alagamentos, inundando uma área maior que o território de França e Alemanha somados. A crise piorou quando uma tormenta provocou na segunda-feira uma torrente de água de oito metros sobre a cidade de Toowoomba e pequenos povoados a oeste de Brisbane.

As sirenes de emergência eram ouvidas por toda Brisbane na tarde de hoje (horário local). Algumas ruas já estavam alagadas. Dois centros de apoio foram abertos na cidade e em Newman. As autoridades advertiram as pessoas que vivem em subúrbios situados em zonas baixas para que preparem suas casas, retirem suas coisas para lugares mais seguros e fiquem longe das residências.

O rio Brisbane transbordou ontem e continuava enchendo hoje. A água era parcialmente controlada por uma grande represa rio acima, que teve de abrir suas comportas porque a água chegou no limite com as chuvas torrenciais. As informações são da Associated Press.