Duas integrantes da banda punk russa Pussy Riot que passaram quase dois anos na cadeia por causa de um protesto contra o governo na principal catedral de Moscou disseram hoje que ainda querem derrubar o presidente Vladimir Putin.

Nadezhda Tolokonnikova e Maria Alekhina reuniram-se hoje em Moscou e concederam uma entrevista coletiva que estendeu-se por cerca de duas horas.

“Nós ainda queremos fazer o que dissemos em nossa última performance, pela qual passamos dois anos na cadeira: mandá-lo embora”, disse Nadezhda. Elas não disseram, entretanto, como pretendiam derrubar Putin. Fonte: Associated Press.