Uma nova tempestade atinge a costa oeste da Inglaterra nesta quarta-feira com ventos que podem alcançar até 160 quilômetros por hora. As fortes rajadas de vento levaram a Agência Meteorológica da Grã-Bretanha a emitir um “alerta vermelho” válido para o oeste do País de Gales e para o noroeste da Inglaterra.

A Inglaterra vem sendo atingida por fortes ventos e chuvas desde dezembro. Em janeiro, o país registrou o mês de janeiro mais chuvoso desde o início dos registros, em 1776. O Rio Tâmisa transbordou e algumas regiões ingleses estão debaixo d’água há mais de um mês.

Enquanto isso, o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, anunciou que grandes bancos do país renegociaram dívidas e abririam linhas de crédito de 750 milhões de libras a correntistas afetados pelas chuvas das últimas semanas.

Segundo assessores do chefe de governo, os bancos envolvidos são o Royal Bank of Scotland (RBS), o Lloyds Banking Group, o Barclays PLC, o HSBC, o Santander e o Nationwide.

Cameron tem sido duramente criticado pela demora em reagir às enchentes e pela mentalidade governamental de austeridade de gastos, o que levou a cortes no orçamento para a realização de obras preventivas, como a dragagem de rios e córregos e a construção e manutenção de barragens contra enchentes. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.