Caracas – O vice-presidente da Conferência Episcopal da Venezuela, monsenhor Roberto Luckert, comemorou nesta segunda-feira (3) a derrota da proposta de reforma constitucional do presidente venezuelano Hugo Chávez no referendo ocorrido ontem no país.

Luckert também criticou Chávez, acusando-o de manter uma prática de "confrontação" e "beligerância".

A Igreja Católica teve um papel ativo durante a campanha do referendo e pediu formalmente às pessoas que recusassem a proposta, juntando-se à oposição.

O bispo Luckert declarou hoje a jornalistas venezuelanos que não acredita que o presidente Chávez irá aceitar a derrota.

"Ontem (Chávez) falou de uma vitória de Pirro (na qual o vencedor é tão prejudicado quanto o perdedor, ndr), mas se tivesse sido ao contrário não seria de Pirro", disse o bispo.

Assim como afirmou hoje Luis Baduel, ex-aliado de Chávez e atual membro da oposição, o bispo declarou que os venezuelanos devem estar alerta para uma eventual tentativa de Chávez de instaurar "por outras vias" o "projeto socialista que tem em mente".

Com referência às próximas eleições na Venezuela, Luckert pediu à oposição que "deixe de besteira pensando quem vai ser o candidato, o que tem a maioria é o que tem que ir e todo mundo deve levar esse candidato ao governo ou à prefeitura".