O jornal alemão Bild revelou um velho documento do presidente russo, Vladimir Putin, que trabalhou em Dresden, nos anos 80, como agente da KGB (serviço secreto soviético). A identidade foi encontrada nos arquivos da Stasi – a polícia secreta da Alemanha Oriental.

No documento, com validade até 1989, ele é descrito como “Major Vladimir Putin”. Konrad Felber, que supervisiona os arquivos da Stasi em Dresden, afirmou ao Bild que a identidade permitia a Putin entrar e sair dos escritórios da polícia secreta.

Ainda segundo Felber, a identificação pode ter permitido a Putin recrutar agentes mais facilmente, pois não era obrigado a dizer que trabalhava para a KGB. Não está claro se o cartão indica se ele trabalhava diretamente para a Stasi. O Kremlin não confirmou nem negou que Putin tivesse a identificação da Stasi. (Com agências)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.