O governo de Hong Kong afirmou que não existem planos para expulsar os manifestantes que se reúnem ao redor da sede do governo local nesta sexta-feira. “No entanto, assim como qualquer outro lugar, a região não pode permanecer indefinidamente bloqueada por manifestantes”, disse Leung Chun-ying, chefe do poder executivo local.

Os líderes políticos se reúnem na residência oficial hoje, uma vez que os gabinetes continuam cercados, para discutir como reagir aos protestos pró-democracia. As manifestações prosseguem durante o dia e incluem registros de conflitos entre os manifestantes e grupos contrários às demonstrações em uma das áreas mais movimentadas da região.

Com o fim do feriado de dois dias, Hong Kong tenta voltar à rotina, após um acordo com os protestantes e as autoridades para evitar confrontos violentos depois de a multidão cercar uma aérea de prédios administrativos. Ao meio-dia, manifestantes continuavam a bloquear o acesso.

Leung recusa os pedidos para que deixe o cargo, mas já afirmou que aceita se reunir com os manifestantes, em esforço para resolver a crise política, que pede mais democracia na escolha dos líderes locais. Entre as demandas, também há pedidos de que a necessidade de aprovação dos chefes de Hong Kong pelo governo de Pequim seja revista. Fonte: Dow Jones Newswires.