Um policial disse que o homem que mantém pelo menos cinco reféns num mercado kosher no leste de Paris ameaçou matá-los se a polícia lançar um ataque aos irmãos Kouachi, que estão cercados numa gráfica. A dupla que é suspeita do massacre de quarta-feira no jornal Charlie Hebdo.

O policial, que não tem autorização para falar publicamente sobre as duas situações, descreveu os eventos como “claramente ligados”.

Segundo ele, várias pessoas ficaram feridas quando o homem armado abriu fogo no interior do mercado, na tarde desta terça-feira (horário local), mas disse que conseguiram fugir e receber ajuda médica.

Não estava claro se havia mais pessoas feridas no interior do mercado ou se a mulher, considerada cúmplice do homem num boletim policial, está no interior da loja com ele.

A polícia ordenou o fechamento de todas as lojas do bairro, que fica na região central de Paris.

O gabinete do prefeito de Paris anunciou o fechamento, nesta sexta-feira, de todas as lojas ao longo da rua Rosiers, no bairro de Marais, coração do bairro turístico, localizado a cerca de um quilômetro do escritório do jornal Charlie Hebdo, onde 12 pessoa foram mortas na quarta-feira. Fonte: Associated Press.