O presidente francês, François Hollande, expressou uma “reprovação profunda” em relação às alegações de que a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) conduziu uma ampla operação de espionagem contra chamadas telefônicas e mensagem de textos na França.

Em uma conversa por telefone na segunda-feira à noite, Hollande disse ao presidente dos EUA, Barack Obama, que estas práticas são “inaceitáveis entre aliados e amigos” e exigiu explicações, segundo um comunicado da presidência francesa. A conversa entre os dois líderes ocorreu depois que jornal Le Monde divulgou informações que revelavam a operação de vigilância da NSA na França.

Hollande e Obama concordaram em trabalhar juntos para analisar as alegações de espionagem e ressaltaram que é preciso criar uma estrutura para garantir que a coleta de dados de inteligência seja utilizada apenas na luta contra o terrorismo, de acordo com a presidência francesa.

A Casa Branca disse nesta segunda-feira que Obama “deixou claro que os Estados Unidos começaram a revisar a maneira como” são coletados os dados de inteligência para que haja um equilíbrio adequado entre as preocupações sobre a segurança dos cidadãos norte-americanos e de aliados e as questões de privacidade.

Em resposta a reportagem do Le Monde, a França disse na segunda-feira que exigiu que os EUA encerrem operações de espionagem “inaceitáveis” contra empresas e cidadãos franceses. Além disso, o Ministério de Relações Exteriores da França convocou o embaixador dos EUA no país, Charles Rivkin, para pedir explicações. Fonte: Dow Jones Newswires.