O grupo situacionista Hamas impôs novas e duras restrições às reuniões públicas na Faixa de Gaza. As forças policiais de Gaza disseram que quem quiser realizar eventos culturais ou celebrações em ambientes fechados vai precisar agora de uma permissão especial. A polícia alegou que a medida é necessária para "manter a lei e a ordem".

A anúncio deste domingo (27) é o mais recente movimento do Hamas para consolidar seu poder em Gaza desde que tomou violentamente o controle em junho passado. O Hamas já havia proibido protestos públicos sem autorização.

O Hamas parece estar preocupado com as recentes tentativas do movimento rival Fatah e de outros grupos políticos de realizar eventos culturais não autorizados. O independente Centro Palestino para os Direitos Humanos afirma que a decisão do Hamas é ilegal.

Combustíveis

Em outros acontecimentos, Taher Nunu, membro do Hamas, disse que seu governo está agindo para persuadir os proprietários de postos de combustível de Gaza a distribuírem o produto fornecido por Israel.

Nunu disse que o Egito tem pressionado o islâmico Hamas a intervir na greve dos proprietários de postos que deixou Gaza sem combustível para carros e outros veículos. Na semana passada a ajuda em alimentos das Nações Unidas foi paralisada porque não havia combustível para seus veículos.

Israel restringiu o fornecimento a Gaza desde que o Hamas assumiu o controle em junho, mas insiste em que há grandes quantidades de combustível nos depósitos na fronteira. Israel acusa o Hamas de criar uma crise artificial.

Falando após uma reunião ministerial, Nunu disse que o Hamas aceitou um pedido do Egito e tentará pôr fim à greve de um mês dos postos de combustível. As informações são da Associated Press.