O movimento palestino Hamas acusou ontem o premiê israelense, Binyamin Netanyahu, de mentir sobre uma possível troca de prisioneiros para negociar a libertação do soldado israelense Gilad Shalit, em poder do grupo islâmico. “Trocaram de opinião por uma questão primária, para salvar a unidade de seu governo”, disse Mahmoud Zahar, um dos líderes do Hamas em Gaza.