O Parlamento da Grécia, como esperado, rejeitou Stavros Dimas, candidato indicado pelo primeiro-ministro Antonis Samaras para o presidente, no primeiro turno das votações nesta quarta-feira. Dimas, ex-comissário da União Europeia, não alcançou os 200 votos necessários na Câmara, que tem 300 assentos. Ele recebeu 160 votos a favor, outros 135 parlamentares votaram que estavam “presentes”, uma espécie de abstenção, e outros cinco foram registrados como ausentes.

“Foi a primeira votação”, disse Samaras ao sair parlamento quarta-feira. “Nós ainda temos mais duas (rodadas) e eu estou esperançoso de que vamos eleger o presidente. A situação é difícil para a Grécia e os legisladores devem entender que não devem colocar o país em apuros”, acrescentou.

A segunda votação será realizada em 23 de dezembro e de acordo com as regras da Grécia, também vai exigir 200 votos para eleger Dimas. Uma terceira votação está prevista para 29 de dezembro, durante o qual Dimas pode ser eleito com apenas 180 votos parlamentares.

O governo de coalizão do partido de Samaras, Nova Democracia, tem 155 assentos no parlamento grego. Se falharem em indicar um novo presidente, serão convocadas eleições nacionais que podem derrubar o governo. Syriza, o partido oposicionista de esquerda, lidera as pesquisas de opinião há meses. Seu líder, Alexis Tsipras, é contrário às políticas de austeridade estabelecidas pelos credores internacionais da Grécia. Fonte: Market News International.