O conselho de ministros do atual governo italiano decidiu nesta terça-feira (22) conceder um empréstimo de 300 milhões de euros à Alitália, como uma medida de emergência para a crise que afeta a companhia aérea estatal.

O atual primeiro-ministro italiano, Romano Prodi, disse à imprensa que o novo premiê eleito, Silvio Berlusconi, "me pediu um empréstimo mais importante do que havíamos previsto, para dispor de mais tempo para resolver o caso da Alitalia: o nosso foi um ato de responsabilidade".

O ministro da Economia,Tommaso Padoa Schioppa, também afimou que o montante do empréstimo concedido à Alitalia havia sido requerido por Berlusconi.

Interrogado sobre a possibilidade de que a União Européia (UE) se oponha à concessão do empréstimo, uma vez que proibiu qualquer ajuda financeira à companhia aérea italiana até 2011, Schioppa limitou-se a dizer que "já veremos", pois "trata-se de uma intervenção que provavelmente não haveríamos feito em circunstâncias diferentes das atuais", concluiu.