O governo do Egito disse que planeja suspender a odiada lei de emergência do país antes que aconteçam eleições parlamentares democráticas, mais tarde neste ano. A lei, imposta em 1981, deu poderes extraordinários ao ex-presidente Hosni Mubarak para deter e manter presos cidadãos sem acusações.

Suspender a lei é uma reivindicação crucial dos manifestantes que derrubaram Mubarak em 11 de fevereiro.

O porta-voz do governo da junta militar, Mohammed Hegazy, disse que a suspensão da lei abrirá o caminho para “eleições livres e justas”.

As informações são da Associated Press.