O governo da Venezuela informou hoje que um canal de TV alinhado com a oposição poderá perder sua licença por, supostamente, colocar no ar uma mensagem de texto que defendia um golpe de Estado e o assassinato do presidente Hugo Chávez. O presidente da Comissão de Telecomunicações do governo, Diosdado Cabello, disse que as autoridades também pedirão a abertura de um processo criminal para determinar se os donos da Globovisión devem ser julgados por incitar a rebelião.

Questionado sobre se o governo de Chávez fechará a Globovisión, Cabello respondeu: “Isso vai depender da investigação”. A Globovisión é o último canal de televisão crítico a Chávez na Venezuela. Ana Cristina Nuñez, conselheira da Globovisión, disse que o canal nunca colocou no ar mensagens de texto contrárias à lei. “Nós tomamos muito cuidado com as tentativas das pessoas de usar a tela da Globovisión para fazer petições ilegais”, disse.

O governo Chávez fechou 32 estações de rádio e outras duas pequenas estações de TV no mês passado. De acordo com Cabello, em breve outras 29 estações de rádio sairão do ar. Para a oposição, Chávez tenta silenciar a mídia. “Existe uma clara estratégia para controlar o fluxo de informações e restringir as críticas”, disse Carlos Lauria, do Comitê de Proteção aos Jornalistas, sediado em Nova York, nos Estados Unidos.