A Grécia parece estar disposta a fazer vários compromissos para fechar um acordo com seus credores internacionais e evitar uma dolorosa saída da zona do euro, afirmou hoje o ministro de Finanças da França, Michel Sapin.

Sapin, que falou a repórteres, disse ter um “pressentimento” de que um acordo será possível após se reunir com o novo ministro de Finanças grego, Euclid Tsakalotos.

No último fim de semana, a população da Grécia votou em plebiscito contra a última proposta de resgate dos credores do país. Para Sapin, o resultado do plebiscito deu ao governo em Atenas “a força de aprovar bons compromissos” com seus credores.

Líderes da zona do euro deram à Grécia prazo final até domingo (12) para apresentar propostas de reformas econômicas mais duras se quiser evitar dar calote em uma dívida que tem a pagar este mês ao Banco Central Europeu (BCE) e sua expulsão da zona do euro.

O tom otimista de Sapin está em linha com a posição mais moderada que a França assumiu nas negociações sobre a Grécia, tentando persuadir a Alemanha e outros parceiros da zona do euro a mostrar “solidariedade” a Atenas.

Em troca de cortes orçamentários mais profundos, a Grécia está tentando persuadir os credores a conceder mais alívio no pagamento de sua dívida, disse o ministro francês.

Segundo Sapin, a redução da dívida grega não está em discussão, mas um reescalonamento de pagamento é uma possibilidade. Ele afirmou também que uma eventual saída da Grécia da zona do euro não terá custo imediato para a França. Fonte: Dow Jones Newswires.