O governador do Alabama, Robert Bentley, anunciou que se recusa a receber refugiados sírios em seu Estado. Em nota à imprensa divulgada no domingo, Bentley disse que, após “completa consideração dos ataques deste fim de semana a cidadãos inocentes em Paris, eu vou me opor a qualquer tentativa de realocar refugiados sírios no Alabama”.

O governador disse que não pode se comprometer com uma política que coloca os cidadãos do Alabama em risco. Segundo a nota, agentes do Alabama trabalham com agências federais para monitorar qualquer ameaça. Até agora, não há uma ameaça de terrorismo digna de crédito no Alabama.

Outro governador, Bobby Jindal, de Louisiana, que concorre à indicação republicana na disputa para presidente, disse à Casa Branca que deseja saber quantos refugiados sírios foram realocados em seu Estado. Jindal disse que deseja obter essa e outras informações “com a esperança de que a noite de terror em Paris não se repita aqui”.

No domingo, o Departamento do Estado informou que 14 sírios haviam sido realocados em Louisiana, a maioria em New Orleans.

Em Michigan, o governador Rick Snyder disse que o Estado está adiando os esforços para aceitar refugiados até que sejam revisadas as checagens de segurança federais.

No domingo, um porta-voz do presidente Barack Obama disse que o governo federal mantém seu plano de realocar até 10 mil sírios nos EUA em 2016. O Departamento do Estado disse que os refugiados serão enviados para vários pontos do país. Não há decisões finais sobre o número ou as localidades onde ficarão os refugiados, mas a área de Detroit pode receber um contingente maior, por ter uma população grande e bem estabelecida de árabe-americanos. Fonte: Associated Press.