Uma fundação alemã, que se autointitula a principal auxiliar financeira do WikiLeaks, repassou 402 mil euros (US$ 585 mil) à organização no ano passado, oferecendo uma rara visão sobre as finanças do grupo. A Fundação Wau Holland recebeu 1,3 milhão de euros em doações para o WikiLeaks em 2010, dos quais cerca de 500 mil euros foram doados no mês subsequente ao início da publicação dos telegramas diplomáticos norte-americanos, informou a fundação, em relatório.

Embora o WikiLeaks diga que luta por transparência e liberdade de informação, a organização é acusada de manter muitos segredos no que diz respeito ao seu próprio funcionamento e formas de financiamento. A fundação disse ter pago 143 mil euros ao WikiLeaks para financiar suas campanhas de vazamento de documentos ao público, cobrindo custos que vão de “revisão e edição de material, edição de vídeo, análise e organização de uma grande quantidade de documentos…e muito mais”. Outros 104 mil euros foram usados para o pagamento de “alguns gerentes de projeto e ativistas”.

O relatório não explica quanto desse dinheiro foi dado ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange. Cerca de 60 mil euros foram usados para a manutenção do sistema de hardware da organização; 62 mil euros foram para custos de viagem “geralmente passagens de avião e trem na classe econômica” e 33 mil euros em honorários de advogados, diz o relatório, publicado no site da fundação.

O documento afirma que os honorários foram referentes às campanhas da organização e não para “aconselhamento pessoal ou defesa de alguém no tribunal”, uma referência às tentativas de Assange de lutar contra sua extradição da Grã-Bretanha para a Suécia, onde enfrenta acusações de estupro e assédio sexual.

As doações à organização aumentaram muito depois que o WikiLeaks começou a publicar telegramas diplomáticos no final de novembro de 2010. As doações em dezembro somaram 500 mil euros, ou cerca de 40% do total acumulado no ano. O relatório não fornece informações sobre as doações nos primeiros meses de 2011 e pedidos feitos à fundação não foram retornados. Wau Holland é uma pequena fundação que leva o nome de um hacker alemão que morreu em 2001. As informações são da Associated Press.