A Tokyo Electric Power (Tepco), operador do complexo nuclear Fukushima Daiichi, no Japão, afirmou que seus esforços para controlar a água altamente radioativa da usina sofreu novos reveses. Pontos contaminados foram descobertos em novas partes dos tanques onde a água está armazenada, ao mesmo tempo que os níveis de radiação subiram para patamares altamente perigosos em outra área.

Segundo a Tepco, altos níveis de radiação foram encontrados em quatro locais perto dos tanques de armazenagem instalados para coletar as 400 toneladas de água contaminada bombeadas por dia das instalações do reator radioativo, indicando a possibilidade de novos vazamentos nos tanques ou alguma dificuldade ainda não explicada na contenção da água.

Dois dos pontos medidos estavam em áreas onde a contaminação não havia sido detectada anteriormente e dois outros registraram um forte aumento no nível de radiação. Em um deles ela chegou a 1,8 MSV (milésimos de Sievert, unidade que mede os efeitos biológicos da radiação) – um dos níveis mais altos de radiação registrados na usina desde os primeiros dias do terremoto seguido de tsunami que afetou o complexo em março de 2011.

A Tepco aumentou a supervisão e a quantidade de leituras que faz sobre a radiação depois de descobrir no mês passado que 300 toneladas de água altamente radioativa estava vazando de um dos tanques de armazenagem. O governo do Japão recentemente interveio no problema para ter um papel mais direto na contenção da crise nuclear. Fonte: Dow Jones Newswires.