O Conselho Representativo das Instituições Judaicas da França (CRIF, na sigla em francês) divulgou na manhã deste sábado o nome das quatro vítimas fatais de um dos atentados terroristas ocorridos nos arredores de Paris. As vítimas estavam em um supermercado kosher em Porte de Vincennes quando foram surpreendidas por Amedy Coulibaly.

Não se sabe precisamente se as pessoas foram assassinadas por Coulibaly antes ou durante a abordagem policial que acabou com a morte do suposto terrorista e a libertação dos reféns. As vítimas foram identificadas como Yoav Hattab, Philippe Braham, Yohan Cohen e François-Michel Saada.

Os homicídios no supermercado, especializado em alimentos que seguem regulações específicas do Judaísmo, chocaram a comunidade judaica e levaram o presidente da França, François Hollande, a pedir por união e criticar o racismo e o antissemitismo no país.

Centenas de milhares de franceses participam de passeatas silenciosas em diversas cidades do país para honrar a memória das 17 pessoas mortas nos ataques terroristas. No domingo, também será realizada manifestação em Paris, com a participação confirmada de Hollande, do primeiro-ministro britânico David Cameron e da chanceler alemã, Angela Merkel.