O congresso das Filipinas aprovou, por grande maioria, a prorrogação até o final do ano da lei marcial na ilha Mindanao, no Sul do país. O exército filipino luta há dois meses contra uma ofensiva de militantes ligados ao Estado Islâmico.

Segundo o porta-voz da Câmara dos Representantes, Pantaleon Alvarez, foram 261 votos a favor e 18 contra o pedido do presidente Rodrigo Duterte, em sessão especial realizada no sábado.

O chefe do gabinete militar alertou, durante a sessão, que os extremistas podem prolongar os ataques para além de Marawi. A luta na região iniciou no dia 23 de maio e, desde então, 500 pessoas foram mortas e 500 mil estão desabrigadas. Fonte: Dow Jones Newswires