O ex-presidente cubano Fidel Castro elogiou, em artigo publicado hoje, alguns trechos do discurso do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no Egito, mas criticou o que qualificou como contradições do norte-americano. “Um discurso de especial interesse para quem acompanha de perto suas ações políticas, dado o enorme poder da superpotência que dirige”, escreveu Fidel em uma de suas habituais “Reflexões”, publicada pela imprensa de Cuba.

Fidel reproduziu extensos parágrafos do pronunciamento de Obama na Universidade Islâmica Al-Azhar, no Cairo, na semana passada. “Se levarmos em conta a extensão do discurso, sem usar um papel, o número de lapsos não pode ser comparado com o de seu antecessor (George W. Bush), que se equivocava a cada parágrafo. (Obama) Possui grande capacidade de comunicação”, disse Fidel.

No entanto, a política seguida pelos EUA nas últimas sete décadas está “em contradição” com as palavras de Obama, pois esta foi uma história de “intervenções e guerra”, disse o ex-líder cubano. Fidel afirmou que, logo depois de iniciar o discurso dizendo que nenhuma nação tem o direito de impor seu sistema e sua forma de governo a outra, Obama se contradisse “com uma declaração de fé que converte os Estados Unidos em juiz supremo dos valores democráticos e dos direitos humanos”.