Dia 23 de novembro a Igreja Católica encerra o ano litúrgico de 2003. Dia 30 de novembro tem inicio o Tempo do Advento- a preparação do Santo Natal.

A pregação de Jesus Cristo exacerbou o povo judeu, onde durante 36 meses apenas foi anunciado o novo projeto de Deus para a humanidade. “A paciência dos judeus atingiu o seu limite em decorrência dos longos anos de submissão ao poder romano. A esperança de uma intervenção divina na História encontrou, nesse ambiente, o terreno propício para lançar raízes profundas no coração das pessoas de fé. Pouco a pouco, foi-se explicitando a forma concreta como isto aconteceria” . (Família Cristã, ano 69, n0. 8l4 , pág.57).

O povo judeu aguardava um enviado de Deus para libertar seu povo, denominado para eles de Messias conforme o Antigo Testamento. Este enviado de Deus iria colocar um fim à opressão que o povo vivia. Para o povo judeu seria um rei, qual um novo Davi, ele restauraria a Realeza entre Israel e começaria uma nova fase na história do povo eleito.

No decorrer da história muitas pessoas passaram por este rei dos judeus, foi o tempo chamado de profetismo.

Pilatos perguntam a Jesus: “Tu és o Rei dos Judeus?” (Jo.18, 33). Era um tempo que se falava muito no messianismo em Israel. Para tirar a vida de Jesus o povo necessitava da permissão da autoridade de Roma.

Jesus fala que seu reino não é deste mundo, porque interessava para Ele a realeza do Pai e não a do mundo.

O desejo de Jesus era apenas que o projeto de Deus trouxesse justiça e não injustiça, que acabasse a opressão e toda forma de maldade, que todo o olhar humano se dirigisse para o alto, que todos os interesses mesquinhos e humanos cessassem na terra. O Reino que Jesus desejou é diferente dos reinos da terra, como representado pelo poder romano na época.

Os “homens com coroa” deste mundo não precisam Ter medo que Jesus não deseja ocupar o seu lugar aqui no mundo “Meu Reino não é deste mundo”( Jo. 18,36). Um grande pavor se mede sempre nos homens quando sua autoridade corre perigo, isto em todos os campos da vida da pessoa. Até queriam Jesus como rei, na oportunidade da multiplicação dos pães. Mas Jesus se retirou para a montanha e se pos em oração diante desta oferta. “Ainda hoje, mesmo depois que o Espírito Santo renovou a face da terra, Cristo não deve estar lá muito entusiasmado como nosso jeito de fazer política, de administrar as coisas públicas e de conduzir as nações. Pois é! Cristo ama tanto o mundo, que por ele deu a vida. Mas o mundo precisa se tornar “outro”: mais justo e mais fraterno. Só então é o Cristo aceitará sentar nele como Rei!.” (Pe. Virgílio, O Domingo,n0. 54).

Natalício José Weschenfelder -pároco da Paróquia Santa Rita de Cássia de Marmeleiro e da Reitoria de Flor da Serra do Sul

e-mail.paroquiasrita@wmail.com.br