O grupo guerrilheiros Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) ofereceu nesta segunda-feira apoio com armas aos camponeses que há mais de 40 dias realizam greve e protestos com bloqueio de rodovias no nordeste do país. O governo colombiano até o momento não se pronunciou sobre a oferta.

“Podem contar com nossas fileiras, com nossas armas, com nossos combatentes, dispostos a conduzi-los à vitória final”, anunciou o grupo guerrilheiro por meio de nota publicada em sua página na internet. O comunicado leva a data de 19 de julho.

Funcionários do governo e o exército da Colômbia vinham acusando as Farc de estarem infiltradas nos protestos. Os líderes da mobilização campesina negam.

Na nota, assinada pelo “Estado-Maior do Bloco de Magdalena Medio”, as Farc observam que, apesar do processo de paz em andamento com o governo, “deve ficar claro (…) que um acordo será impossível se o povo colombiano continuar sendo violentado como é hoje”.

Os protestos dos últimos 40 dias concentram-se em Tibú, um povoado de 40 mil habitantes no nordeste da Colômbia. Eles exigem o fim da destruição dos cultivos de folha de coca e a declaração de 346 mil hectares da área como “zona de reserva campesina”. Fonte: Associated Press.