A família de Tamir Rice, garoto de 12 anos morto pela polícia de Cleveland, nos EUA, entrou com um processo de morte por negligência nesta sexta-feira. A ação movida contra a cidade e os dois policiais alega que eles agiram de modo imprudente quando confrontaram o menino de forma aterrorizante e dispararam em poucos segundos, além de terem demorado quatro minutos antes de pedir ajuda médica.

O episódio motivou protestos no estado e é uma entre diversas mortes recentes envolvendo policias americanos que despertaram indignação na população.

Um vídeo de segurança divulgado pela polícia mostra que Tamir foi baleado dois segundos após um carro de patrulha parar ao seu lado em um parque em 22 de novembro. A imagem mostra o menino com o que a polícia descobriu depois que era uma arma de brinquedo. Ele morreu no dia seguinte.

De acordo com a polícia, o oficial Tim Loehmann acreditou que o garoto estava com uma arma real. Um júri popular vai decidir se ele deve ser condenado. Um porta-voz da cidade se negou a comentar o processo.

Loehmann entrou na polícia de Cleveland em março após passar seis meses em 2012 no departamento de polícia do subúrbio de Independence. A ação judicial aponta que supervisores de Loehmann decidiram que ele não tinha a maturidade necessária para trabalhar no departamento de Independence, que ele deixou no fim de 2012. Fonte: Associated Press.