O exército do Iêmen matou sete militantes suspeitos de pertencerem à Al-Qaeda em um confronto em Zinjibar, um reduto do grupo na província ao sudoeste de Abyan, afirmou nesta quinta-feira uma autoridade militar.

O conflito ocorreu logo após um dos ataques mais violentos da Al-Qaeda contra as forças de segurança do Iêmen, na fronteira sul de Zinjibar, no domingo, e que matou 185 soldados. “O exército atacou as posições da Al-Qaeda em Zinjibar no fim da noite de quarta-feira”, contou uma autoridade em condição de anonimato.

Uma autoridade local na cidade próxima de Jaar disse que “os corpos dos sete militantes da Al-Qeda” foram transferidos para as dependências do exército a fim de serem enterrados.

A rede terrorista Al-Qaeda assumiu na quarta-feira a responsabilidade por uma série de ataques no Iêmen, entre eles um atentado no domingo que deixou 185 soldados do governo mortos na província de Abyan e o bombardeio de um avião militar em Sanaa.

O governo do Iêmen condenou a escalada de ataques no país e pediu que as forças de segurança divididas “se unam contra o terrorismo e o extremismo que ameaçam a segurança e estabilidade do país”.

Os ataques contra as forças de segurança do Iêmen aumentaram desde que o presidente Abdrabuh Mansur Hadi prometeu em seu discurso de posse, no dia 25 de fevereiro, acabar com a Al-Qaeda. As informações são da Dow Jones.