Promotores federais mexicanos informaram que Jorge Hank Rhon, ex-prefeito de Tijuana, foi indiciado pela posse de armas ilegais. Ele foi transferido de uma prisão da Cidade do México para outra na cidade fronteiriça de Tecate, informou a promotora-geral adjunta Patricia Bugarin, em coletiva de imprensa.

Hank Rhon foi detido no sábado, quando soldados encontraram 40 rifles, 48 revólveres, 9.298 balas, 70 clips de munição e uma granada de gás em sua casa em Tijuana, perto de um dos cassinos de sua propriedade.

Dez das armas tinham licenças, mas nenhuma estava registrada em nome de Hank Rhon, afirmou Bugarin. Cinco estavam registradas em nome de grupos de segurança pública ou da polícia do Estado da Baja Califórnia ou da Cidade do México. Outras cinco estavam registradas em nome de outras pessoas, nenhuma das quais faz parte do grupo de dez que foi detido juntamente com Hank Rhon. As outras 78 armas não tinham licença, disse Bugarin.

O juiz tem três dias para decidir se há provas suficientes para levar o ex-prefeito a julgamento, embora o advogado de Hank Rhon, Fernando Benitez, tenha pedido mais três dias para apresentar evidências em favor de seu cliente. Benitez disse que o Exército invadiu a casa de Hank Rhon sem um mandado de busca, o que torna as provas inaceitáveis. “Se a busca é ilegal, tudo o que é obtido é inaceitável como prova”.

O governo justificou a invasão afirmando que soldados testemunharam a realização de um crime e a investigação imediata os levou à casa do ex-prefeito, o que torna desnecessário um mandado de busca. A lei mexicana limita a posse de armas pesadas aos militares e exige licença para a maioria das outras armas. Quem desobedece a lei pode pegar até 30 anos de prisão.

Benitez não quis comentar a essência das acusações, mas fez referência a um comunicado publicado por Hank Rhon na segunda-feira, no qual ele afirma que as armas não são dele e que ele nunca as tinha visto antes.

Hank Rhon foi prefeito de Tijuana entre 2004 e 2007, mas perdeu a disputa pelo governo da Baja Califórnia no ano passado. Ele é um bilionário que gerencia corridas de cachorros e uma rede nacional de casas de apostas. As informações são da Associated Press.