Começou nesta segunda-feira (21) o primeiro julgamento por crimes de guerra na base naval mantida pelos Estados Unidos em Guantánamo, Cuba. Salim Hamdan, um ex-motorista do milionário saudita no exílio Osama bin Laden, alegou inocência em uma audiência realizada em meio a intenso esquema de segurança. Hamdan é acusado de conspiração e colaboração com terrorismo. Caso seja considerado culpado, ele estará sujeito a sentença máxima de prisão perpétua. A expectativa é de que o julgamento dure de três a quatro semanas com depoimentos de mais de 20 testemunhas arroladas pelo Pentágono. Hamdan é o primeiro prisioneiro a ser julgado por crimes de guerra pelos EUA desde a 2ª Guerra Mundial.