Um tribunal chinês condenou nesta sexta-feira (11) Chen Liangyu, ex-integrante de alto escalão do Partido Comunista Chinês, a 18 anos de prisão por corrupção, no escândalo envolvendo o terceiro maior fundo de pensão de Xangai.

Segundo a agência oficial de notícias Xinhua, Chen foi acusado por "receber subornos e abuso de poder".

Ele perdeu seu cargo durante investigações sobre corrupção cerca de dois anos atrás. Chen, que também era integrante do poderoso Politburo, formado por 24 assentos, foi o mais alto integrante do partido a ser deposto em mais de uma década.