O ex-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca Mike Flynn afirmou que concorda em ser entrevistado, caso obtenha imunidade judicial, segundo funcionários com conhecimento do assunto. A Agência Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) e congressistas investigam as potenciais ligações entre a campanha do presidente americano, Donald Trump, e a Rússia.

Como conselheiro na campanha presidencial de Trump e depois um dos principais nomes na Casa Branca, Flynn esteve em meio a deliberações importantes da política externa do novo governo e se envolveu diretamente em discussões sobre a possibilidade de retirada de sanções contra a Rússia, que foram impostas no governo do antecessor de Trump, Barack Obama.

As fontes disseram que Flynn fez a oferta ao FBI e aos comitês de inteligência da Câmara e do Senado, mas até agora não houve um acordo nesse sentido. Advogado de Flynn, Robert Kelner não quis comentar o assunto. Fonte: Dow Jones Newswires.