A Agência Européia de Segurança Aérea quer saber se o acidente aéreo em Congonhas, São Paulo, foi causado por problemas técnicos da Airbus. Caso as investigações apontem para problemas no avião, a agência não descarta fazer recomendações à empresa aérea para que modificações sejam feitas nos jatos da companhia com sede da França. As recomendações da Agência Européia tem valor de lei e, quando são emitidas, uma empresa tem um certo período para implementar se não quiser ser multada ou penalizada pela entidade.

Oficialmente, a Agência Européia se recusa a comentar o acidente com o vôo da TAM e apenas aponta que está recebendo quase diariamente informações dos peritos que foram enviados pelo governo francês ao local do acidente. Como a Airbus tem sede na França, as normas internacionais exigem que o país onde fica a sede da empresa também participe das investigações.

"Não vamos fazer comentários nesse momento, já que as investigações estão ainda ocorrendo", afirmou um porta-voz da entidade. A agência se recusa a comentar se já houve algum tipo de investigação em relação ao uso do reverso da turbina, citado como uma das eventuais causas no acidente.