A Europa deveria ajudar a Itália a lidar com um fluxo maciço de refugiados e imigrantes do Norte da África, disse hoje o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Crescem os temores na Itália pela possível chegada de milhares de refugiados da Líbia. Nesta semana, um barco com 200 refugiados líbios chegou à Sicília.

Desde janeiro, quando aconteceu a revolução que derrubou o regime na Tunísia, cerca de 15 mil tunisianos cruzaram o Mediterrâneo para chegar à pequena ilha italiana de Lampedusa, mais próxima da África que da Itália continental.

Cerca de 5 mil ainda estão na ilha e a população de Lampedusa de repente dobrou. Os moradores temem uma crise sanitária. O centro para imigrantes na ilha foi construído para abrigar 800 pessoas. “Muita gente não encontra abrigo para o frio e chuva. As condições de higiene são penosas”, disse Adrian Edwards, porta-voz do ACNUR. As informações são da Associated Press.