A União Europeia considera permitir que a Espanha, que tem a maior taxa de desemprego do bloco, com cerca de 21% da força de trabalho desocupada, restrinja temporariamente a entrada de trabalhadores da Romênia. O bloco europeu informou que o número de romenos que vivem na Espanha cresceu de 388 mil em 2006 para 823 mil em 2010. Nesta quinta-feira, a Comissão Europeia aprovou o pedido da Espanha para que trabalhadores romenos só trabalhem no país se conseguirem uma permissão do governo espanhol, uma medida que não se aplicará aos romenos que já vivem na Espanha.

A medida precisa ser ratificada pelos 27 chefes de Estado da UE em duas semanas. A Romênia aderiu à UE em 2007. O livre movimento de trabalhadores europeus entre os países é um pilar central do bloco, mas restrições são permitidas para trabalhadores de países que aderiram ao bloco nos últimos sete anos, o que ainda é o caso da Romênia.

As informações são da Associated Press.