Os Estados Unidos intensificaram suas críticas à China em uma avaliação global das práticas de tráfico humano nesta terça-feira, em um movimento que deve inflamar as tensões entre Washington e Pequim. O Departamento do Estado divulgou um relatório que detalha as preocupações americanas com o trabalho forçado patrocinado pelo Estado, tráfico sexual e o tratamento de cidadãos norte-coreanos na China.

“O tráfico de seres humanos é uma das mais trágicas questões de direitos humanos do nosso tempo”, disse o secretário de Estado, Rex Tillerson, em uma carta que acompanha o relatório. “Pior: o crime rouba os seres humanos de sua liberdade e de sua dignidade. É por isso que devemos perseguir o fim do flagelo do tráfico humano.”

Tillerson apresentou o relatório na sede do Departamento de Estado, em Washington, nesta terça-feira, ao lado de Ivanka Trump, filha do presidente Donald Trump e assessora sênior da Casa Branca.

A China foi rebaixada para o Nível 3 no relatório – uma categoria que iguala Pequim a países como Irã, Coreia do Norte, Rússia e Síria em relação a tráfico humano. No ano passado, a China estava no Nível 2. Já Mianmar, que estava no Nível 3, foi elevado ao Nível 2 neste ano. Avaliação anual cobre mais de 180 países e abrange informações de abril de 2016 a março de 2017.

Justificando a ação contra a China, o relatório afirma que Pequim não atende aos padrões mínimos considerados necessários para eliminar o tráfico humano e não faz esforços significativos para que esse objetivo seja alcançado. Fonte: Dow Jones Newswires.