A fracassada tentativa de explodir um carro-bomba na Times Square, em Nova York, parece cada vez mais ter sido coordenada por várias pessoas, num plano com ligações internacionais, segundo reportagem online de ontem do jornal “Washington Post”, que cita como fontes funcionários do governo Obama.

O jornal descreveu a revelação como “incerta”, enquanto a Casa Branca intensifica seu foco no incidente de sábado, quando explosivos dentro de um Nissan Pathfinder pegaram fogo, mas não detonaram. Diversos funcionários disseram ao “Washington Post” que era prematuro descartar qualquer hipótese, mas que a investigação ampla, que envolve vários Estados, estava relevando novas pistas.

A polícia dos Estados Unidos prendeu na noite de ontem o paquistanês Faisal Shahzad, de 30 anos. Naturalizado norte-americano, ele é suspeito pelo atentado frustrado. Shahzad foi pego por volta da meia-noite (2 horas no horário de Brasília), quando tentava deixar o país, ao embarcar no aeroporto John Fitzgerald Kennedy, em Nova York, com destino a Dubai, nos Emirados Árabes.

O escritório da Secretaria de Justiça no distrito de Manhattan está encarregado do caso e informou que Shahzad deve comparecer a uma corte hoje para a apresentação formal das acusações, que ainda não foram anunciadas. Com informações da Dow Jones.