O Comitê de Regras da Câmara dos EUA deu início, hoje, à audiência que é considerada o passo final antes da votação para a reforma do sistema de saúde no país. Esta é uma audiência de rotina, mas ganhou destaque pelo fato de que a votação está agendada para amanhã.

Nesta tarde, o presidente Barack Obama irá ao Capitólio para estimular os democratas a darem apoio à legislação de US$ 940 bilhões, que quase certamente deve ser o tema definitivo de política interna de seu mandato.

Os presidentes e líderes republicanos dos três comitês da Câmara que têm jurisdição sobre a legislação do setor de saúde falaram na audiência.

Na abertura, os democratas enfatizaram a natureza histórica da legislação, enquanto os republicanos argumentaram sobre como a maioria planeja trazer a legislação ao plenário. O democrata Sander Levin disse que o país enfrenta uma crise no sistema de saúde e que o Congresso não pode esperar para lidar com a questão. O republicano Joe Barton classificou o debate como “a questão mais importante de política doméstica” que ele já enfrentou desde que foi eleito para a Câmara, em 1984.

Os democratas planejam utilizar um processo chamado “deeming”, ou declaração, para aprovar a legislação. Neste processo, a Câmara declara aprovada a versão do Senado e não vota diretamente a legislação. Os republicanos argumentam que o tema é suficientemente importante e merece o voto, da forma tradicional, no plenário da Câmara. Os democratas rebatem que os republicanos já usaram o processo “deeming”, quando controlavam a Câmara, para assuntos controversos. As informações são da Dow Jones.