O governador de Porto Rico disse neste domingo que cancelará um contrato de construção de US$ 300 milhões com uma pequena empresa de energia depois que a Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (Fema, na sigla em inglês) disse que tem “preocupações significativas” com o acordo.

O governador Ricardo Rosselló anunciou o cancelamento em uma coletiva de imprensa, dois dias depois das declarações da Fema em relação ao contrato firmado entre Porto Rico e a Whitefish Energy Holdings LLC.

Em um comunicado na sexta-feira, a FEMA disse que tem perguntas sobre como os preços foram negociados, e que estava em conversas com a empresa pública de eletricidade conhecida como Prepa, juntamente com seus assessores jurídicos, sobre como o contrato foi fechado, bem como sobre como a companhia determinou os preços acordados.

“Solicitei ao conselho da Prepa para invocar a cláusula de cancelamento”, disse o governador no domingo. “Há algum trabalho em andamento que precisa ser concluído, mas estou invocando essa cláusula de cancelamento”. A controvérsia sobre os termos do contrato “está interferindo em tudo”, disse ele.

As questões relativas à operação com a Whitefish se intensificam à medida que as autoridades federais começaram a examinar os gastos de recuperação de desastres do território dos EUA. Mais de um mês após o furacão Maria ter causado diversos danos em Porto Rico e destruído grande parte da sua rede elétrica, o serviço foi restaurado para menos de um terço dos consumidores de energia.

A Whitefish, que foi contratada para reconstruir a rede elétrica derrubada, tem cerca de 300 trabalhadores em Porto Rico reconstruindo linhas elétricas. Mas o pequeno porte e o registro limitado da empresa, bem como os termos de seu contrato, suscitaram preocupações em torno da administração de Porto Rico sobre o fluxo maciço de dólares federais para auxiliar a recuperação da ilha.

Dois senadores democratas, Maria Cantwell, de Washington, e Ron Wyden, do Oregon, solicitaram à controladoria geral dos EUA uma investigação sobre o uso de dinheiro público no âmbito do contrato com a Whitefish, especificamente os “custos potencialmente inflacionados de tempo e material” e a “natureza opaca e limitada do processo de licitação da Prepa “.

Os legisladores e o Comitê de Recursos Naturais do Parlamento, que tem jurisdição sobre os territórios dos EUA, e o Comitê de Energia e Comércio da Câmara, também solicitaram documentos na quinta-feira em torno da contratação do contrato com a Whitefish. O inspetor geral do Departamento de Segurança Interna conduz uma sondagem separada. Fonte: Dow Jones Newswires.