O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse nesta segunda-feira que a China está engajada na “economia predatória básica” e em um “nível sem precedentes de furto de propriedade intelectual”. Os comentários de Pompeo foram feitos no Clube Econômico de Detroit, quando os mercados globais reagiram às tensões comerciais entre Washington e Pequim.

Pompeo afirmou que as recentes afirmações da China sobre “abertura e globalização” são “uma piada”. Ele disse que a China tem um “governo econômico predatório que está muito atrasado para ser enfrentado”. O secretário americano levantou a questão comercial diretamente com autoridades chinesas na semana passada, quando se reuniu em Pequim com o presidente chinês, Xi Jinping.

No evento, Pompeo também disse que pode voltar à Coreia do Norte para continuar as discussões nucleares “antes de ficar terrivelmente longas”. Pompeo disse que há muito trabalho a fazer para dar corpo ao acordo que o presidente dos EUA, Donald Trump, e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, fizeram em Cingapura na semana passada. Pompeo disse que “é difícil saber” se haverá necessidade de uma segunda cúpula entre os dois líderes.

No entanto, o secretário americano afirmou que, se um acordo nuclear for fechado, Trump está comprometido em entregar sua parte. Ele disse que isso inclui alterar o acordo de armistício que acabou com os combates na Guerra da Coreia. Pompeo também comentou que Trump também está empenhado em garantir que Pyongyang possa se tornar um “lugar maravilhoso e bem-sucedido”. Fonte: Associated Press.