Uma combinação de fatores, incluindo o erro humano, levou um ataque aéreo dos EUA na Síria a matar combatentes alinhados ao regime sírio em vez de integrantes do Estado Islâmico, segundo um relatório do Pentágono.

Uma investigação de seis semanas sobre o incidente de 17 de setembro concluiu que a decisão de atacar o local não foi uma tentativa intencional de golpear as forças sírias, disse um militar americano.

O exército americano disse que só poderia confirmar que 15 pessoas foram mortas com o erro, mas admitiu que mais pessoas provavelmente foram mortas. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que 83 pessoas morreram na ocasião. Fonte: Dow Jones Newswires.