A embaixada dos EUA pediu que os cidadãos norte-americanos que vivem num raio de 80 km da usina nuclear de Fukushima se retirem da área ou busquem abrigo. O Pentágono também declarou área de exclusão semelhante para o pessoal militar norte-americano. A abrangência é bem maior do que a área de retirada de 20 km em torno de Fukushima declarada pelas autoridades japonesas.

A decisão foi anunciada depois que as autoridades dos EUA revisaram dados técnicos e científicos recebidos do Japão desde que o complexo nuclear foi atingido por terremoto e tsunami na última sexta-feira. “Estamos recomendando, como precaução, que os cidadãos norte-americanos que vivem num raio de 80 km da usina nuclear de Fukushima evacuem a área ou buscam abrigos cobertos se uma retirada em segurança não for possível”, disse a embaixada, em comunicado.

O porta-voz da Casa Branca Jay Carney confirmou que a recomendação sobre a retirada dos cidadãos foi passada hoje ao presidente Barack Obama pelo presidente da Comissão Reguladora Nuclear (NRC, na sigla em inglês), Greg Jaczko. A recomendação foi feita à luz da “deterioração” da situação nos reatores nucleares japoneses.

Carney disse que os cidadãos norte-americanos que precisam de ajuda para a retirada devem contatar a embaixada no Japão. Ele disse que a decisão foi baseada em análise independente da situação no Japão pela NRC. As informações são da Dow Jones.