Em muitas escolas públicas e particulares a ética é tida como um conceito empregado dentro das diversas disciplinas que integram os currículos dos estudantes de ensino médio e fundamental. Porém, em poucos estabelecimentos o assunto é discutido de forma mais aprofundada ou tratado como uma disciplina específica.

Uma pesquisa desenvolvida com 130 brasileiros entre 18 e 28 anos de idade, pela empresa de pesquisa de tendências Voltage, revelou que os jovens têm consciência de que a ética é importante em toda e qualquer profissão e sentem faltam de uma maior abordagem do assunto na escola, quando passam por período de formação do caráter.

Para o professor de educação inclusiva da UFPR, Paulo Ross, não há necessidade de a ética ser tratada como uma disciplina específica dentro das instituições de ensino. Porém, é muito importante que seus conceitos sejam abordados de forma constante por todos os professores, de todas as disciplinas.

?Cabe aos professores estabelecerem a relação de valor entre o que ensinam e as dimensões éticas, políticas, morais, estéticas e históricas?. Ele acredita que o contato com a ética auxilia para que crianças e adolescentes possam dar um rumo a suas vidas, adquirindo maior autonomia e valores que lhes permitam diferenciar o que é certo do que é errado.

Segundo a Secretaria de Estado da Educação do Paraná, nas escolas públicas estaduais a ética é contemplada dentro de todas as disciplinas. Já nas escolas da rede municipal de ensino de Curitiba, de acordo com a Secretaria Municipal de Educação, a ética está compreendida dentro dos três princípios de formação curricular: educação para o desenvolvimento sustentável, educação pela filosofia e gestão democrática do projeto pedagógico.